Ator de 'Arraste-me para o inferno' revela que já viu fantasma


Cético no filme, Justin Long diz que visita locais assombrados na vida real. Fã de 'Evil dead', ele afirma que trabalhar com Sam Raimi era um sonho.

Em "Arraste-me para inferno", terror de Sam Raimi que estreia nesta sexta (14) no Brasil, Justin Long interpreta um cético professor de psicologia que custa a acreditar que sua namorada (Alison Lohman) esteja sob os efeitos de uma maldição do além. Na vida real, entretanto, o ator está longe do ceticismo.

Numa entrevista a jornalistas estrangeiros durante o Festival de Cannes - onde o filme foi exibido pela primeira vez, em maio -, Long revelou que já viu um fantasma. Interessado em passeios por lugares supostamente mal-assombrados, o ator contou que visitou uma dessas igrejas em Key West, na Flórida, que teria sido incendiada por um pastor no século XIX. Na ocasião, relatou, um grupo de crianças teria queimado junto com o prédio.

Durante sua visita ao local, cerca de três anos atrás, Long conta que levantou os olhos para uma das janelas da igreja e viu claramente o rosto de uma criança olhando para ele.

"Tenho uma foto do fantasma. Foi um dos momentos mais assustadores que já vivi", lembra o ator. "Antes eu não era aberto, mas agora sei que há uma energia. Senti presenças. É algo reconfortante, na verdade, você poder ter uma prova de que há algo depois dessa vida."

Perguntado se ainda teria o retrato para confirmar sua versão, Long lamentou: "a foto ficou a minha ex-namorada. Agora não sei mais como recuperar", divertiu-se.

Trabalho com o ídolo

Fã de filmes de terror como "Evil dead - A morte do demônio", Long comentou ainda que, a princípio, achou difícil acreditar no convite de Sam Raimi para trabalhar em "Arraste-me para o inferno".

"Fiz um filme de terror anos atrás, um dos meus primeiros. Mas com o tempo comecei a me tornar mais seletivo com os meus papeis", explica. "Mas Sam Raimi é um dos meus favoritos. Quando soube que ele queria me conhecer, e que era um filme de horror, eu mergulhei imediatamente. Ele me chamou para conversar, e eu era só um de seus fãs nerds, estava empolgado só de conhecê-lo. E ele diz: 'você consideraria fazer um papel no filme, amiguinho?'. Ele foi tão doce, não acho que tenha noção do peso que tem", elogia.

"Então, eu olhei para ele e disse: 'você está brincando? É claro que aceito!' Faria qualquer coisa. É uma honra fazer parte disso."

Com uma lista de quase 40 trabalhos no currículo, entre filmes para o cinema e séries de TV, Long confessa que até hoje fica "chocado" por conseguir estar trabalhando na área. "Ainda tenho esses momentos. No primeiro filme que fiz, eu voltava para casa e não entendia. Não consigo acreditar que alguém queira filmar o meu rosto e ainda por cima me pague por isso", brinca.

Quem também às vezes ainda não entende muito bem é a sua mãe, a sra. Long. "Lembro que assisti ao meu primeiro filme de terror com a minhã mãe. Quando acabou, ela estava do meu lado, soluçando porque eu morria no filme. E eu dizia a ela: 'mãe, sou eu, estou aqui, ainda tenho os meus olhos!"

Comentários

Mais vistas da semana